Sac Comigo:
0800 642 1500

Notícias

Lúcia Vânia Defende Repasse Do Fco Pelas Cooperativas De Crédito

Data: 23/05/2019

Em entrevista à Rádio Sagres nesta sexta-feira (17), a ex-senadora Lúcia Vânia (PSB-GO) defendeu a possibilidade de as cooperativas de crédito de Goiás fazerem o repasse de recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) a empresas e produtores rurais do Estado. Embora a lei 13.682/2018 determine que até 10% do valor do FCO podem ser repassados por instituições financeiras cooperativas, em linhas de crédito específicas, atualmente, apenas o Banco do Brasil faz essa distribuição.

Considerando que o fundo destinado ao Centro-Oeste é da ordem de R$ 3 bilhões, as cooperativas de crédito dos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal poderiam movimentar cerca de R$ 300 milhões, por ano, para financiar a instalação, ampliação ou modernização de empreendimentos na região, caso a lei fosse cumprida.

Lúcia Vânia é uma das responsáveis pela recriação da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), à qual está vinculado o FCO. Para ela, o Banco do Brasil não é o mais indicado para cuidar desse repasse. Por isso, durante seu mandato no Senado, chegou a apresentar um projeto de lei para a criação de um banco de desenvolvimento, para administrar os recursos do fundo, que são destinados ao Centro-Oeste.

"A Sudan e a Sudene, que são do Nordeste, têm os seus bancos, que gerenciam seus fundos. Nós não temos. Nosso fundo é gerenciado pelo Banco do Brasil. Da (aprovação da) Constituição até hoje, nós devemos ter um estoque do FCO na ordem de R$ 25 bilhões (que são recursos do fundo que retornam ao banco, após os empréstimos feitos pelo FCO serem pagos). Esse dinheiro, se colocado num banco de desenvolvimento, poderia puxar novos investimentos para Goiás", explica.

Por outro lado, Lúcia Vânia acredita que as cooperativas têm todas as condições para assumirem o papel de repasse do FCO ao setor produtivo de Goiás. "Talvez o banco nem seja necessário, porque nós temos cooperativas muito importantes, que fazem um trabalho até 'mais em conta' do que os bancos. Bancos têm gastos mais sofisticados, as cooperativas são mais diretas. As cooperativas de Goiás têm aplicado o FCO de forma muito correta. E eu acredito que esse estoque do FCO é, hoje, o grande instrumento que nós temos para buscar recursos para Goiás", acrescenta.

O Sistema OCB/SESCOOP-GO tem tentado mobilizar o apoio de lideranças, para que seja cumprido o direito de as cooperativas de crédito repassarem até 10% do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), em linhas de crédito específicas, conforme prevê a lei. Na última reunião do Comitê Técnico do Conselho Deliberativo do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Condel/Sudeco), realizada no dia 9 de maio, em Brasília, foi aprovada a proposta de resolução que permitirá esse repasse. O texto ainda precisa ser aprovado pelos governadores da região na próxima reunião do Condel, a ser realizada na próxima segunda-feira, 20 de maio. (Fonte: OCB-GO / Sescoop - GO)


Voltar